quinta-feira, 1 de março de 2012

EDUCAÇÃO - PISO SALARIAL

DEU NA FOLHA DO MATO GRANDE

Benes Leocádio diz que novo piso salarial inviabiliza administrações.

Eles querem que reajuste tenha como base o INPC. Novo piso salarial foi reajustado em 22,22% e passa a valer R$ 1.451.


                                                        Presidente da Femurn, Benes Leocádio diz que prefeituras não tem condições 
Por: Sezimar Fonseca // 
Foto: Arquivo

Prefeitos de todo o país foram desesperadamente a Brasília na última terça-feira (28/02), em busca de apoio do Congresso Nacional para que o governo federal cubra as despesas com o novo piso nacional dos professores. O valor foi reajustado no dia (27/02) para R$ 1.451 para professores de nível médio com carga de 40 horas semanais, o que representa 22,22% de aumento em relação a 2011. Leocádio, afirmou que os impactos orçamentários para tanto preocupam as prefeituras do Rio Grande do Norte.

Já existe uma portaria que determina a ajuda do Governo Federal para os municípios em condições adversas, mas segundo Benes, embora até o Judiciário tenha reconhecido o direito das prefeituras, o Governo Federal não regulamentou a portaria e tampouco sinaliza com os repasses. O presidente da Femurn acredita que sem a ajuda do Governo Federal a maior parte das prefeituras do Estado não vão ter como repassar o aumento, uma vez que a situação ainda é critica.

DETALHES

O valor do novo Piso Nacional do Magistério deve ser pago com valores retroativos a janeiro. De acordo com estudo da Confederação Nacional de Municípios (CNM), para a jornada de 40h semanais, o reajuste representa aumento de 22,22% sobre o valor do ano anterior. Pelos dados da entidade, para cumprir a lei do piso e manter a carga horária de trabalho em sala estipulada pela lei, os Municípios precisarão de contratações adicionais.

PARABÉNS PARAZINHO, POIS SAIU NA RENTE! NOSSOS PROFESSORES JÁ RECEBERAM. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário