quinta-feira, 1 de março de 2012

ENERGIA EÓLICA

Empresa investe R$ 120 milhões e reforça potencial eólico do RN


Líder no segmento de energia eólica no Brasil, o Rio Grande do Norte recebeu nesta quinta-feira (01) mais um importante investimento com a inauguração dos parques Aratuá 1 e Miassaba 2, no município de Guamaré. Desenvolvidos e implementados pelo Grupo Bioenergy, os parques são os primeiros do País desenvolvidos totalmente pela iniciativa privada e representam a injeção de R$ 120 milhões no setor.  


Para a governadora Rosalba Ciarlini a iniciativa da empresa é exemplo do potencial que o estado possui para se consolidar como líder no mercado de energias renováveis. “O RN tem todas as condições para se tornar líder não só no setor eólico como também no segmento de energia solar”, afirmou a Governadora.

Durante a inauguração o presidente da Bioenergy, Sérgio Marques, ressaltou a importância da política governamental como um grande diferencial para a segurança dos investidores. “Não é em todos os estados que encontramos esse ambiente de apoio e tranquilidade para investir. O apoio institucional por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e do IDEMA foram fundamentais no processo de implantação do nosso grupo no RN”, garantiu. Com o Aratuá 1, operando no Ambiente de Contratação Regulada (ACR) e o Miassaba 2 - o primeiro do Brasil a operar no ambiente do mercado livre são gerados 150 empregos diretos e indiretos.

Nos parques funcionam 18 turbinas GE Wind – os primeiros equipamentos eólicos da GE a serem instalados na América Latina – com capacidade de gerar 28,8 MW, além de eliminarem 702 mil toneladas de dióxido de carbono na atmosfera. Isso equivale a um reflorestamento de dois milhões de árvores, preservadas por 21 anos.

Para o secretário do Desenvolvimento Econômico, Benito Gama, o setor eólico vive um momento de atração e consolidação dos projetos que transformarão o Rio Grande do Norte num potencial na geração de energia limpa. 


Publicação: 01/03/2012 17:41 Atualização:

Da redação do DIARIODENATAL.COM.BR, com informações da Assecom/RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário